Tratamento ortomolecular: quais suas bases e aplicações aos pacientes?

Harmonia Vital

Escrito por Harmonia Vital

Em 30 de junho de 2020

O termo ortomolecular foi usado pela primeira vez na década de 60 para tratamento de questões psiquiátricas pelo químico Linus Pauling. O prefixo “orto” significa correto, de forma que a interpretação para o termo pode ser “a quantidade correta de moléculas”.

Como outras especialidades, a medicina ortomolecular investiga anormalidades orgânicas ou psíquicas dos seus pacientes, e acredita que muitas de suas causas estão relacionadas ao desequilíbrio de vitaminas, nutrientes, hormônios e radicais livres no corpo.

Ela procura detectar e corrigir esse desequilíbrio das funções celulares antes que as doenças se desenvolvam. Essa correção é feita a partir da suplementação com vitaminas, minerais, aminoácidos, ácidos graxos e demais substâncias com ação antioxidante.

O restabelecimento do equilíbrio corporal com esses elementos traz benefícios como: maior rendimento metabólico, otimização das medicações já tomadas pelo paciente, redução do tempo de recuperação da doença e melhor desempenho celular e metabólico.

Em resumo, a medicina ortomolecular identifica e corrige os nutrientes que faltam, os que estão em excesso e aqueles tóxicos para o organismo. Os especialistas na área afirmam que ela não substitui a terapia padrão, mas a complementa ao proporcionar melhores condições para o corpo se recuperar.

A farmácia de manipulação é o estabelecimento de saúde mais adequado para atender as necessidades da terapia ortomolecular por conter uma gama enorme de compostos utilizados nessa terapia. Além disso, a adequação das dosagens e da forma farmacêutica de forma individualizada para cada paciente agregam enorme valor na adesão terapêutica de cada paciente.

Harmonia Vital

Escrito por Harmonia Vital

Em 30 de junho de 2020

Deixe seu comentário